qualidade

Qualidade

bovino selo qsm

A Norma de Qualidade Britânica (Quality Standard Mark) é o selo de garania criado pela AHDB e que certifica todo um conjunto de procedimentos e de cuidados que vão desde a Protecção do Ambiente e dos Animais, da sua Alimentação, do seu Transporte, Abate e manuseamento da carne até ao consumidor final. Quando vir este selo na embalagem quer dizer que essa carne foi sujeita à validação de todos esses processos que resumidamente assinalamos no seguinte quadro.

bovino qualidade selo
bovino carrossel qualidade

Para perceber em pormenor como tal se passa pode verificar abaixo qual o Caderno de encargos subjacente ao processo de certificação que permite a aposição do selo QSM.

qualidade normas gerais
  • São obrigatórios a carta geográfica da exploração, planta de emergência e registo das reclamações
  • A documentação relativa à qualificação do pessoal deve ser revista anualmente
  • Todos os animais têm de estar identificados e os seus movimentos registados
  • É obrigatório o controlo dos parasitas e a utilização de iscos tem de ser planeada
  • É obrigatório um plano sanitário que inclua as medidas relativas à biossegurança.
qualidade icones2
A produção de carnes vermelhas faz parte do programa de desenvolvimento sustentável da agricultura.
  • A melhoria do desempenho reduz as emissões de gases com efeito de estufa
  • A seleção genética das raças é adaptada à melhor conversão da erva em carne em função do ambiente: utilização de raças rústicas em zonas diaceis e raças de orientação “carne” em zonas de planície
  • Conservação natural das zonas não cultiváveis: encostas, pântanos, charnecas
  • Captura de carbono otimizada pela gestão das pastagens rotativas
  • Redução da utilização de adubo (Potássio, Azoto, etc.)
  • Reciclagem racional dos dejetos de animais: planos de espalhamento de estrume
  • Reciclagem dos resíduos: plásticos (ensilagem, fardos redondos) e cordéis (enrolamento)
  • Controlo reforçado da qualidade da água e redução do consumo de água
  • Conservação das paisagens naturais das zonas rurais: baldios, caminhos, lagos, sebes, bosques
  • Conservação da biodiversidade: mamíferos pequenos, pássaros, batráquios, insetos
  • O plano de controlo dos produtos de proteção das plantas integra o plano de controlo dos pesticidas e inclui o controlo dos inseticidas, fungicidas, herbicidas, antilesmas e moluscos, etc
  • A silagem deve ser guardada a, pelo menos, 10 m dos cursos de água e a, pelo menos, 50 m das nascentes e poços; os efluentes da silagem devem ser contidos
  • Os resíduos são eliminados por empresas especializadas e autorizadas. Estão disponíveis derrogações para determinados resíduos sob certas condições. Os resíduos não tratados de matadouros ou produtos derivados de animais não podem ser espalhados
  • É obrigatório um plano de espalhamento de estrume.
qualidade instalacoes
Em caso de emergência na exploração, é obrigatório um contacto para assistência.
  • Os edifícios pecuários devem ser confortáveis, espaçosos, higiénicos e bem iluminados; os animais com mais de 8 semanas devem evoluir em grupos
  • Nem arestas nem projeções devem aparecer na proximidade dos animais
  • Pisos antiderrapantes
  • Edifícios de pecuária limpos permitem que os animais se deitem em seco
  • Cobertura das zonas de tratamento antiparasitário
  • Uma tabela impõe um espaço mínimo por animal de acordo com a sua corpulência e peso
  • O comprimento dos bebedouros depende do número de animais que a eles acedem e da sua corpulência
  • Densidade mínima em estábulo para uma vaca leiteira adulta ou um boi de 500 kg: 5,85 m2 por cabeça.
qualidade percurso
  • Proteções naturais obrigatórias nas pastagens
  • Sobrepastoreio proibido
  • Pasto e água permanentemente disponíveis.
qualidade cuidados
  • Registo obrigatório de todos os cuidados e tratamentos
  • Registo obrigatório das mortes e reformas
  • Controlos sanitários obrigatórios e avaliações por um veterinário
  • Registo dos tratamentos antiparasitários dos cães
  • A utilização de antibióticos apenas é autorizada em último recurso com a supervisão de um veterinário
  • Registo obrigatório das compras e dos cuidados farmacêuticos
  • Declaração dos períodos de tempos de espera antes do abate (em geral, 28 dias)
  • As eutanásias são efetuadas por uma pessoa competente e disponível em menos de uma hora. As mortes são registadas
  • Os incineradores individuais devem estar aprovados
  • Os recém-nascidos devem ingerir o colostro nas 6 horas seguintes ao nascimento, idealmente nas duas primeiras horas
  • Respeito pela grelha de limpeza dos animais
  • A castração dos bezerros deve efetuar-se nos 8 dias seguintes ao nascimento
  • A castração dos bezerros com pinças deve fazer-se nos 2 meses seguintes ao nascimento
  • A castração de um bovino com mais de 2 meses tem de ser realizada por um veterinário e com anestesia
  • A descorna química deve fazer-se nos 8 meses seguintes ao nascimento do bezerros e, e por qualquer outro método (calor), até à idade de 2 meses
  • O corte de chifres com serra não deve ser sistemático e deve ser realizado antes dos 5 meses de idade; depois dos 5 meses, tem de se chamar o veterinário.
qualidade manuseamento
  • Os animais são manuseados calmamente por um pessoal com formação
  • Os aguilhões elétricos são proibidos
  • Os cães têm de estar sob controlo
  • Os animais doentes ou feridos têm de estar separados do rebanho
  • Para os bovinos, são proibidas as amarras permanentes
  • Os bovinos em estábulo ou estabulação estão organizados em grupos homogéneos
  • Os animais com chifres não podem estar misturados com animais estranhos.
qualidade transporte
  • Todos os bovinos à partida para o matadouro têm de ter residido 90 dias, no mínimo, na exploração de partida
  • As rampas de carga / descarga têm de estar equipadas com barreiras laterais e dispositivos antiderrapantes (ripas no solo)
  • A inclinação na rampa não deve ultrapassar os 26,6 °
  • Os veículos têm de estar equipados com um teto
  • É obrigatória uma cama de palha para os borregos e vitelos
  • As espécies não podem ser misturadas durante o transporte e manuseamento
  • Todos os animais têm de se manter sobre os seus quatro membros e aceder ao veículo sem ajuda
  • Uma tabela impõe um espaço mínimo por animal de acordo com o seu peso e corpulência
  • Densidade máxima de 1,5 m2 por vaca leiteira adulta
  • Os animais doentes ou feridos ou as fêmeas prenhes a mais de 90 % não podem ser transportadas.
qualidade alimentacao
Todos os animais devem poder alimentar-se e beber livremente para garantir o bom funcionamento do rúmen e manter uma boa saúde corporal, sejam quais forem as condições meteorológicas.
  • Os bebedouros têm de estar limpos
  • As zonas de alimentação no exterior têm de estar em bom estado e ser acessíveis sem esforço para todos os animais
  • A alimentação não inclui antibióticos, nem hormonas nem qualquer produto de origem animal salvo o óleo de peixe e os produtos lácteos
  • Toda a alimentação complementar tem de estar certificada, documentada com informações relativas ao fornecedor, que devem ser guardadas durante 2 anos
  • As misturas realizadas na quinta devem ser registadas
  • A administração de medicamentos tem de ser validada por um veterinário
  • O armazenamento da silagem está regulamentado e controlado.
qualidade certificacoes
  • A criação, o transportador, o mercado e/ou o centro de triagem têm de estar certificados «Red Tractor» para beneficiar da Norma de Qualidade Borrego Britânica
  • O matadouro (carcaças) e a sala de desmancha têm de estar certificados para beneficiar da Norma de Qualidade Britânica.
qualidade exclusoes e carcacas
  • Garantia de qualidade integrada da quinta ao ponto de venda, incluindo o transporte, o mercado, o abate e o corte
  • Todos os animais provenientes de criações qualificadas (rastreabilidade total)
  • As fêmeas com menos de 36 meses são aceitáveis. Elas não podem ter sido utilizadas para aleitamento nem ter parido bezerro; elas não podem estar grávidas
  • Os novilhos com menos de 36 meses são aceitáveis
  • São admissíveis vacas com mais de 36 meses e menos de 144 meses
  • Peso da carcaça de 180 kg a 450 kg (Vacas)
  • As carcaças devem ter um nível de engorda compreendido entre 2 e 4H e ter uma conformação compreendida entre E e O+
  • Para qualificar o gado com 30 meses ou menos: maturação de 7 dias exigida para as peças destinadas a ser assadas, fritas ou grelhadas (entre o abate e o consumidor final)
  • Para qualificar o gado de 30 a 36 meses: maturação de 14 dias exigida para as peças destinadas a ser assadas, fritas ou grelhadas (entre o abate e o consumidor final). Caso contrário, pode-se utilizar um dos processos pós-abate para reforçar a tenrura, como indicado nas “Diretivas EBLEX para a Qualidade da Carne”, isto é a suspensão pelo osso ilíaco ou a estimulação elétrica, mas a maturação standard de 7 dias como descrita para os animais com menos de 30 meses.
  • Os bezerros não devem ter mais de 16 meses no momento do abate. As peças destinadas a ser assadas, fritas ou grelhadas devem ser submetidas a uma maturação de 14 dias, no mínimo (entre o abate e o consumidor final).
  • Regime de refrigeração: as carcaças têm de ser refrigeradas de maneira que a combinação temperatura / pH evite criochoques (encolhimento pelo frio), tal como a temperatura da carcaça tem de se situar entre 12 °C e 35 °C quando o pH atinge o valor 6.
  • A carne proveniente de gado jovem está sujeita a uma obrigação de rotulagem específica baseada na idade no momento do abate. A carne destes animais deve ser rotulada como vitela ou como vaca de acordo com a sua idade.
Auditoria do programa

A AHBD tem a obrigação de ver o seu Programa Norma Qualidade auditado de maneira independente.

Em termos esquemáticos, o processo de obtenção do selo de qualidade (QSM – Quality Standard Mark) é o seguinte:

bovino esquema qualidade