sustentabilidade

Sustentabilidade

bovino selo qsm

Sustentabilidade

da carne de bovino no UK não é palavra vã. É o resultado de um conjunto de ações levadas muito a sério.
sust sublink1 fundo 1
sust sublink2 fundo
sust bovino sublink3 fundo
sust sublink4 fundo
sust sublink5 fundo

A carne vermelha e os seus sucedâneos

Enquanto 1Kg de carne de bovino, consome 68lts de agua da torneira, são necessários 5,260lts de água retirada ao consumo humano para produzir 1Kg de amêndoas da Califórnia.

  • Mas a situação é bem pior se compararmos 1Lt de leite de vaca que consome 8lts de água canalizada contra os 158lts de água canalizada necessários para obter 1Lt de leite de amêndoa, que contém apenas 3% de amêndoa.
  • Sucedâneos da carne como tofu, soja, feijões, ervilhas ou outros substitutos a partir de plantas, podem ser mais ricos em sódio do que a carne vermelha, cujos montantes são relativamente baixos (ver saúde e nutrição).
  • Muitos produtores de sucedâneos de carne utilizam coco ou derivados do óleo de palma mais ricos em gorduras saturadas do que a carne vermelha para proporcionar ao consumidor uma sensação semelhante na boca ao trincar a carne. Muitos contem aditivos processados e aromatizantes, por isso é importante ler as declarações nutricionais para avaliar os conteúdos de gordura.
sust bovino carne vermelha foto1
sust carne vermelha foto2
  • Enquanto as carnes vermelhas são acusadas de produzir uma grande quantidade de gases com efeito de estufa (argumento já desmontado nas secções anteriores) do que outros sucedâneos, é um facto que são muito mais densos em nutrientes essenciais e com emissões por caloria significativamente mais baixas do que os grãos.
  • Num contexto global de crescimento da população, a relevância da produção de carne para a obtenção de proteína e ingredientes essenciais tem que ser vista como uma importante fonte desses componentes e que não é facilmente substituível por sucedâneos de qualquer ordem.
  • Por fim, um das acusações mais frequentes ao consumo de carne vermelha é de que o seu consumo excessivo é uma causa significativa de morte.

Mas um relatório recente da Lancet efectuado em 195 países indicou que a carne vermelha por si só apresentava um dos mais baixos indices de mortalidade a nível global.

O maior risco de morte na dieta alimentar está sim associado a uma dieta rica em sódio. Esse é um problema grave nos alimentos preparados com %’s elevadas de sal, mas não na carne fresca cujas quantidades de sódio são muito baixas, aonde o consumidor adiciona a quantidade de sal que entender.